quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte | Assessoria de Imprensa

Galeno sugere que Governo decrete situação de emergência pelo aumento de casos de microcefalia 

Crédito da foto: Eduardo Maia
 
A preocupação com o aumento dos casos de microcefalia no Rio Grande do Norte e na região Nordeste foi tema do pronunciamento do deputado estadual Galeno Torquato (PSD), durante sessão plenária nesta quarta-feira (2), na Assembleia Legislativa. O parlamentar reforçou a necessidade de mobilização da sociedade para o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor do vírus responsável pela malformação do cérebro, e fez um apelo ao Governo do Estado para que decrete situação de emergência no Rio Grande do Norte.

 “Já são 79 casos notificados no RN até a última terça-feira (2) e cinco óbitos. A única forma de prevenirmos o surgimento de novos registros é combatendo o mosquito. Dessa forma é preciso somar os esforços do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde Pública (Sesap), da sociedade civil organizada e também da Igreja, que fez um trabalho muito importante na área da Saúde quando criou a Pastoral da Criança para evitar os casos de desidratação e desnutrição em nosso país”, disse Galeno.

O deputado chamou a atenção para o fato do Rio Grande do Norte ter saltado da quarta para a terceira posição em número de casos da anomalia, ultrapassando o Estado de Sergipe. Segundo ele, além da microcefalia, estão sendo notificados também casos de malformações no sistema nervoso periférico dos bebês. “A situação traz angústia e aflição às gestantes que estão fazendo pré-natal e carregam a dúvida sobre como será o andamento da gestação”, observou.

Durante o pronunciamento, Galeno enalteceu a reunião promovida no último domingo (29) por representantes da SESAP e outras entidades da Saúde para propor medidas de enfretamento. “Foi dado o primeiro passo buscando agilizar os processos junto aos especialistas nas várias dimensões: nas endemias, em relação ao controle e ao combate do vetor; na atenção à saúde da gestante e crianças; e na habilitação das crianças acometidas em um segmento de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e demais necessidades”, declarou o deputado, citando também o encontro promovido na manhã de hoje pelo Governo do Estado para discutir medidas de combate ao Aedes Aegypti.

Ao final do discurso, Galeno enfatizou um dado que aponta que 80% dos criadouros do mosquito são de origem doméstica e disse que a seca e o calor contribuem para a proliferação do vetor. “Ou seja, precisamos do engajamento de toda a sociedade, que deve estar atenta aos pontos de acúmulo de água. Fica nosso apelo para que o RN decrete situação de emergência e que todos se unam em favor do combate a esse malefício”, concluiu.

Em aparte, a deputada Cristiane Dantas (PCdoB) reforçou o pronunciamento de Galeno alertando para a necessidade de campanhas de esclarecimentos à população. O deputado Tomba Farias (PSB) sugeriu uma ação do Governo Federal que envolvesse os beneficiários do Programa Bolsa-Família para atuação nas ações de combate ao Aedes Aegypti. “Os beneficiários ficariam responsáveis por um dia de limpeza em terrenos, casas e espaços com focos do mosquito. Tenho certeza absoluta que esse trabalho iria erradicar a doença”, sugeriu.

O presidente da Casa, Ezequiel Ferreira (PMDB) apoiou a sugestão de que o Governo decrete situação de emergência e informou que a Assembleia fará uma campanha educativa para o combate do mosquito vetor de doenças como a Zyka, Dengue e Chikungunya. “Essa é uma luta também da Assembleia. Todos os deputados estão de mãos dadas para erradicar essa situação que tem trazido tanto sofrimento às famílias nordestinas e potiguares”, disse. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário