segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Tem procedência?


‘Barreira do Inferno’ elabora estudo sobre transferência de atividades para o Maranhão

Comandante Paulo Junzo Hirasaw diz não ter tem conhecimento sobre a possibilidade do terreno ser usado para especulação imobiliária

Por: Redação
Natal - RN, 11/02/2011. Centro de Lanamento da Barreira do Inferno. Foto: Ichiro Guerra/PR.
Ichiro Guerra
O presidente da Comissão de Planejamento Urbano, Meio Ambiente, Transportes e Habitação da Câmara Municipal de Natal – vereador Sandro Pimentel, o professor Robério Paulino e a estudante e Coordenadora Geral do DCE/UFRN Daniella Araújo estiveram reunidos nesta quinta-feira (28), no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno – CLBI, com o comandante e diretor coronel aviador, Paulo Junzo Hirasawa.
O objetivo principal da reunião foi esclarecer uma informação recebida nacionalmente por membros da direção nacional do PSOL acerca da desocupação do Centro de Lançamento Barreira do Inferno e a preocupação do território ser usado para especulação imobiliária e construção civil – visto que a Barreira do Inferno é muito importante na perspectiva da preservação de fauna/flora, faz parte da história local e o Centro é um importante referencial de tecnologia espacial.
Diante da preocupação dos partidários do PSOL, o comandante Paulo Junzo Hirasawa esclareceu que atualmente recebeu um direcionamento de elaborar uma documentação com estudo dos impactos de itens de ação em caso da efetivação da transferência de atividades de lançamento para o Centro de Lançamento de Alcântara (MA), no entanto, não tem nenhum conhecimento sobre a possibilidade do terreno ser usado para especulação e ainda reforçou que mesmo com a possibilidade de concretização da retirada dos lançamentos, as demais atividades existentes no CLBI continuariam normalmente.
Recentemente, a Agência Espacial Brasileira (AEB) anunciou a instalação do primeiro Centro Vocacional Tecnológico (CVT) do Brasil para estimular atividades de aeroespaciais na Barreira do Inferno e, além do futuro CVT Espacial (com obras em andamento), já funcionam na área do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno os projetos Parceria Tamar – de pesquisa e monitoramento na área costeira onde estudos indicam que o litoral é refugio, reprodução e corredor migratório de pelo menos três espécies de tartarugas; e Fauna e Flora (UFRN) – contribuição para preservação de patrimônio ambiental.
O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) representa uma grande contribuição para a pesquisa espacial e já realizou mais de dois mil lançamentos e representa uma área com extensão de 1.800 hectares. A primeira base aérea de foguetes da América do Sul.
Fontes: Google, agorarn.com  e Portal no Ar.






Nenhum comentário:

Postar um comentário