terça-feira, 21 de março de 2017

Eleição do CONACAN: a chapa "Amo Candel" não se apresenta e "Filhos de Candelária" está unida e não teme os rapazes da paróquia.

Tudo antes como no Reino de Abrantes.
Na área dos delírios chinfrins, tempestades em copos d'água, miolos de potes, falatórios em altos decibéis de quem está voando alto mas não enxerga bem o que o que está baixinho, as coisas estão caminhando a contento. È verdade, respeitamos tudo que dizem, com nexo ou sem nexo. Na política comunitária, muita coisa é diferente da política tradicional, dos parlamentos e assembleias.Por exemplo, educação e respeito. Mas não entremos nessa área porque senão vira lero-lero, miolo de quartinha.
Na Candelária, já quem diga que a chapa Amo Candel, supostamente apoiada orientada pelo padre Júlio César, não vai prejudicar a Chapa Filhos de Candelária. Motivo: segundo os "filhos" os fiéis que freqüentam a Igreja do bairro não são católicos residentes no conjunto residencial. "São pessoas de fora que a gente não sabe de onde são", disse o vice-líder. Eu completei: a causa disse que a causa da migração foi que  muitos católicos preferiram as missas da capela do Bairro Latino, celebradas pelo padre Manoel, em vez das celebrações do padre. Júlio. Os dois sacerdotes tem temperamentos diferentes. Só.
Tive uma conversa informal com Júnior, sábado passado, que externou a sua tranquilidade com relação ao pleito que se aproxima. "Estou trabalhando todos os dias, falando com as pessoas e consigo três votos, e média , por dia. Não vai haver racha, não. Está todo mundo unido, calmo. ", disse o pré-candidato a vice-presidente dos "Filhos de Candelária".
Já o líder da chapa Amo Candel, Andriere Henrique, está tratando da provável postulação à Presidência do CONACAN, hoje presidida por Victor Vale que, segundo o sociólogo e ex-cooperativista Manoel Lucena, ainda não fez a prestação de contas, conforme os estatutos que prevê que sejam apresentadas 30 dias antes da Assembleia Ordinária para criação da Comissão Eleitoral.
A assembleia está convocada para a manhã de domingo, 26.

E agora?

Na minha opinião, hoje, 21, a calmaria se apresenta, mas não sei se firmará. Lembrem-se que o candidato da Reviver, Marcus Vinicius Pereira, é católico de nascença e admirador do padre Júlio César e, caso a chapa Amo Candel não colar - pela desistência dos meninos neófitos - , a tendência que eles apoiem a chapa adversária aos "Filhos de Candelária", que também é neófita. Um exemplo: um colaborador da chapa discordou da realização de um debate com os líderes das chapas a serem registradas no CONACAN, sob a alegação de que "todos vão querer falar também"....
E mais: a família de Marcus Vinicius é benquista em Candelária, tem raízes caicoenses e são devotos de Nossa Senhora de Santana. Por isso, já se comenta em Candelária: "Será que Santana seria o elo entre o padre Júlio e o pré candidato Marcus Vinicius?".
E a chapa de João Neto? Pifou mesmo?
Onde anda Netão? 





Nenhum comentário:

Postar um comentário